AS MULHERES NO ESPORTE

AS MULHERES NO ESPORTE

No dia da Mulher a EVOLVE quer parabenizar todas as mulheres que lutam pelo esporte e para que ele seja uma manifestação capaz de modificar as estruturas da sociedade.

UM POUCO DE HISTÓRIA

Por muito tempo o corpo da mulher foi tido como frágil e incompatível com a prática esportiva.

No inicio dos JOGOS OLÍMPICOS da era moderna, Pierre de Coubertin até reconhecia que as mulheres deveriam ter uma educação esportiva, mas para ele as olimpíadas eram “coisa de homem” por motivos culturais, antropológicos e PRINCIPALMENTE FÍSICOS.

Na primeira edição dos jogos da era moderna, em Atenas (1986), não houve participação feminina. Como protesto, a grega Stamata Revithi resolveu realizar o percurso da maratona do lado de fora do estádio. Ela realizou a prova em um tempo menor que alguns homens mas não foi reconhecida como participante e ainda foi vaiada pelo público.

Em Paris (1900) foi aceita a participação de mulheres no Tênis e Golf, segundo os organizadores por serem esportes estéticos e sem contato físico. Mas as mulheres eram participantes extra oficiais e não ganhavam as coroas de oliveira (símbolo da premiação)

A nadadora Maria Lenk foi a primeira mulher sul-americana a participar de uma edição dos jogos olímpicos (1932, Los Angeles). Esta brasileira puxou a fila das mulheres em jogos olímpicos. Na edição seguinte em 1936 (Berlim), já eram 4 nadadoras e uma esgrimista na delegação brasileiras. Em 1939 conquistou dois recordes mundiais nas provas de 200m Peito e 400m Peito (Sim! 400m Peito fazia parte do estranhíssimo programa de provas, mas isso é conversa para outra postagem) e diversos recordes americanos.

Com o passar dos anos a mulher foi conquistando seu merecido espaço no mundo esportivo. E hoje com a participação feminina já consolidada em grande parte do cenário mundial existe uma aparente “igualdade entre os gêneros no esporte“.

Mas não é bem assim! Apesar de grandes resultados, as vezes até mesmo se equiparando aos homens, as mulheres recebem salários infinitamente menores quando comparado aos atletas masculinos de MESMA EXPRESSÃO na modalidade. Algumas modalidades ainda são RESTRITAS às mulheres ou PROIBIDAS às mulheres e as diferenças não param por ai! Mulheres muitas vezes têm que treinar em grupos para não serem alvo de assédio ou até mesmo violência física por estarem usando um shorts no treino de corrida. Em piscinas públicas ou até mesmo em academias mulheres de diferentes ritmos ainda se juntam em uma mesma raia para fugir do assédio dos homens, atrapalhando o treino mas evitando olhares e toques maldosos.

Felizmente isso parece estar em um ritmo de melhora e quanto mais se falar sobre a participação da mulher como uma conquista própria e não uma concessão masculina, mais perto de uma verdadeira igualdade estaremos.

Abraço e Bons treinos!

FONTES

FARIAS, A. HISTÓRIA DOS JOGOS OLÍMPICOS. Armazém da cultura. 2016

Mulheres nas Olimpíadas: Uma Longa Trajetória

https://www.sescsp.org.br/online/artigo/13030_COMO+AS+MULHERES+DESAFIARAM+AS+PROIBICOES+E+TEM+SE+TORNADO+PROTAGONISTAS+NO+ESPORTE

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jogos_Ol%C3%ADmpicos

https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Lenk

Deixe uma resposta

Seguir

Acompanhe nossas noticias

%d blogueiros gostam disto: