CRIOTERAPIA NA NATAÇÃO

CRIOTERAPIA NA NATAÇÃO

Não existe um atleta que nunca tenha usado gelo para tratar alguma DOR ou LESÃO, mas será que você sabe utilizar corretamente este recurso? Nesta postagem vamos falar sobre a crioterapia. Este RECURSO ERGOGÊNICO é o mais comum e de mais fácil acesso, e pode ser muito útil se bem aplicado.

Toda vez que treinamos, o esforço realizado causa MICRO LESÕES MUSCULARES, que precisam ser restauradas para que o equilíbrio se restabeleça (homeostase). Para regenerar essas MICRO LESÕES é iniciado um processo inflamatório que ocorre após o esforço muscular. Ao expor esta musculatura a baixas temperaturas conseguimos uma diminuição deste processo inflamatório, reduzindo a dor, inchaço local e assim acelerando a recuperação.

Todos sabem que quando o músculo está em péssimas condições dificilmente suportará um novo treinamento nos próximos dias ou conseguirá manter o RITMO DE NADO planejado, e a Crioterapia vem com a proposta de acelerar essa recuperação e otimizar o processo de treinamento.

COMO FAZER?

PARA REDUZIR DOR LOCAL

O indicado é fazer 3x 10′ c/10′ (três séries de 10 minutos de gelo com 10′ sem gelo no intervalo) com um saco de gelo. Ao aplicar gelo nunca faça direto no local. Coloque um pano ou toalha fina sobre a área e aplique o saco de gelo por cima. Cuidado! Baixas temperaturas podem causar queimaduras.

PARA REDUZIR LACTATO SANGUÍNEO ENTRE PROVAS OU TREINOS PRÓXIMOS

Alguns artigos científicos sugerem a imersão das pernas ou até mesmo do corpo até o tórax em um barril ou piscina com temperatura em torno dos 10° a 15° por 20′ (20 minutos). Muitos atletas utilizam este método que é extremamente incômodo, mas quem suporta a briga com a piscina de gelo geralmente se sente melhor e mais recuperado.

Mas atenção! Ainda existem muitas controvérsias sobre esta técnica. Alguns artigos científicos chegam a relatar que até mesmo a RECUPERAÇÃO PASSIVA (ficar parado) seja mais eficiente do que a imersão no gelo para a redução de LACTATO sanguíneo.

PARA RELAXAR A MUSCULATURA

Neste caso é indicado o CONTRASTE. Após treinos mais intensos em época de COMPETIÇÃO ou POLIMENTO é indicado fazer algumas sessões de quente/frio, alternando entre uma piscina fria (10° a 15°) por 10′ e outra quente (30° a 35°) por 10′, sempre terminando na fria (frio – quente – frio)

PARA CURAR UMA LESÃO

O ideal para curar uma lesão é fisioterapia + adaptações dos treinos + recursos ergogênicos. Por isso não adianta atacar em uma só área. No caso dos recursos ergogênicos pode ser utilizado a crioterapia, geralmente da mesma forma que para diminuir a dor. 3×10’c/10′. Lembrando que não se usa gelo em uma ferida aberta, nem na cabeça e tronco durante longos períodos.

NUNCA USE GELO ANTES DE TREINAR OU COMPETIR. O GELO DIMINUI A VELOCIDADE DOS IMPULSOS NERVOSOS E PIORA A PROPRIOCEPÇÃO, O QUE PODE OCASIONAR ACIDENTES, CONTRATURAS OU LESÕES POR PERDA DE TÉCNICA.

Estas e outras dicas você encontra no nosso blog EVOLVE. Tudo o que você precisa para nadar melhor e estar sempre bem informado.

Abraço e Bons Treinos!

REFERÊNCIAS

Brancaccio et al, 2005. Análise de lesão muscular em ratos treinados e sedentários submetidos a crioterapia.Fisioterapia em Movimento, 18(1), p. 59-65, 2005.

Sellwood KL, Brukner P, Williams D, Nicol A, Hinman 12. R. Ice-water immersion and delayed-onset muscle so­reness: a randomized controlled trial. Br J Sports Méd. 41(6): 392-397 2007.

http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/2016/03/gelo-apos-exercicio-saiba-quando-usar-crioterapia-para-rapida-recuperacao.html acessado em 1/05/2019

Deixe uma resposta

Seguir

Acompanhe nossas noticias

%d blogueiros gostam disto: