RESPIRAÇÕES NA NATAÇÃO. POR QUE VARIAR?

RESPIRAÇÕES NA NATAÇÃO. POR QUE VARIAR?

Todos vocês já devem ter feito algum tipo de variação de respiração no nado Crawl, mas será que é tão importante assim treinar estas variações? Nesta postagem vamos trazer 3 motivos para colocar variações de respiração em todos os treinos.

EQUILÍBRIO MUSCULAR

Uma cabeça pesa entre 5 e 6Kg, e durante a respiração, grande parte deste peso está sobrecarregando o ombro que está dentro da água. Parece preocupante? Multiplique isso pelo número de respirações de um treino, de uma semana, de meses…. Sim! Este é o principal motivo da necessidade de variar as respirações. Ao fazer sempre respirações pares (2×1, 4×1, etc), o ombro que sofre com a respiração é sempre o mesmo. Por isso é importante treinar respirações ímpares, ou bilaterais (3×1, 5×1, etc) para poder dividir esta sobrecarga igualmente nos dois ombros. O desequilíbrio muscular pode ocasionar lesões crônicas e de difícil tratamento.

Muitas pessoas acabam por adotar uma RESPIRAÇÃO COMBINADA. Ex: 2×1, 3×1, 2×1. Este tipo de respiração já ajuda muito o equilíbrio muscular pois respira duas vez para um lado e faz uma troca de lado.

ESTRATÉGIA DE PROVA

Durante uma prova de piscina é preciso ter noção de onde estão seus adversários, e por isso é fundamental saber fazer bem respirações bilaterais (3×1,5×1). Já na maratona é muito comum ter que mudar o lado da respiração pelas ondas, pelo sol, pelo pelotão ou pelas referências do percurso. Se as ondas estão incomodando e você só sabe respirar para um lado, você será castigado por elas até a próxima mudança de direção, o que pode ser um gasto de energia desnecessário, resolvido simplesmente mudando o lado da respiração.

Já vi atletas saírem de provas de 5km ou 10km com queimaduras de sol no rosto apenas de um lado. Se tivessem utilizado respirações ímpares diminuiriam em 50% a incidência solar em cada lado do rosto.

CONTROLE RESPIRATÓRIO

Ao treinar respirações de diferentes “tamanhos” conseguimos ter um maior controle respiratório, o que além de ser ótimo para o condicionamento físico pode ser determinante para nadar em baixas temperaturas. Ao conseguir fazer respirações maiores (4×1,5×1, 6×1 ou mais) adquirimos uma resistência à pressão de CO2 nos pulmões, que é o que faz a “vontade de respirar”. Isso melhora a tolerância anaeróbica.

Ao nadar em baixas temperaturas é comum hiperventilar (fazer respirações muito rápidas e curtas), principalmente no início da prova. Isso pode ocasionar fadiga muscular precoce, dores de cabeça e até desmaios. Por isso indicamos que nestas situações sejam feitas respirações maiores, mas isso só será possível se houver um treinamento prévio.  

As variações de respiração podem te dar um nado mais equilibrado, que ajude na sua estratégia de prova, melhore o condicionamento físico e permita nadar em baixas temperaturas. Tenho certeza de que a partir de hoje as variações de respiração vão fazer parte de seus treinos. Nós do TIME EVOLVE sempre passamos em nossas PLANILHAS DE TREINO séries, técnicas e exercícios para variações de respiração. Abraço e Bons treinos!!!

Deixe uma resposta

Seguir

Acompanhe nossas noticias

%d blogueiros gostam disto: