TUDO SOBRE O NADO BORBOLETA

TUDO SOBRE O NADO BORBOLETA

Nadar borboleta não é tão difícil quanto parece! Temos uma cultura de nadar pouco borboleta ou até mesmo de não nadar!!! Muitos atletas amadores aprendem CRAWL, COSTAS E PEITO, mas não querem aprender BORBOLETA!!! Já ouvi muitos alunos dizerem “-Não tenho força para nadar Borboleta!” ou “-Cansa muito!”. A verdade é que este nado não é muito mais difícil do que os outros na parte coordenativa, e geralmente quando é bem coordenado gasta tanta energia quanto o nado peito (na mesma intensidade). Então o grande limitador para nadar ou não BORBOLETA é a COORDENAÇÃO. Não importa sua força ou resistência, se conseguir se dedicar a entender e melhorar a coordenação com certeza todos conseguirão, e para os atletas que já nadam mas tem dificuldades de manter séries mais longas ou mais intensas fica a mesma dica. INVISTA NA SUA COORDENAÇÃO!!

Vale lembrar que quando falamos em TÉCNICA de nado é fundamental fazer AVALIAÇÕES periódicas para mensurar e aprimorar os  seus movimentos. Procure a EVOLVE e tenha a melhoria que a tanto tempo busca. CONTATO@EVOLVESWIM.COM

Hoje vamos dar algumas dicas de como nadar BORBOLETA corretamente.

1- APOIO

 

O apoio da braçada deve ser feito com um PALMATEIO para fora. Neste momento o quadril deve estar mais alto do que a cabeça para que o movimento de ondulação não pare.

 

 

2- TRAÇÃO

 

Durante a tração os braços são acelerados para atrás simultaneamente. A braçada de borboleta é como a braçada de CRAWL, só que com os dois braços ao mesmo tempo.

É importante manter o cotovelo alto durante a braçada para aumentar a área útil do braço e favorecer as alavancas de força.

 

 

3- FINALIZAÇÃO + 2ª PERNADA

 

A finalização é o momento onde as mãos tocam as coxas. Neste momento deve se fazer uma pernada (ondulação) e é onde se inicia o movimento da cabeça para respirar.

A coordenação dos movimentos de perna e braço devem ser basicamente:

Uma pernada com os braços à frente e outra com os braços para trás

 

4- RESPIRAÇÃO 

 

A respiração ocorre com o queixo o mais próximo da linha da água. Subir a cabeça ou o tronco gasta muita energia e atrasa o nado.

Quem está aprendendo a nadar borboleta deve respirar 2×1 (uma braçada sim, outra não), mas não existe padrão específico para cada prova,  é um fator muito individual do atleta e altamente treinável.

 

 

5- CABEÇA ANTES DO BRAÇO

 

Para manter o quadril alto e a braçada leve é muito importante conseguir voltar a cabeça antes do braço na respiração. Isso facilita os movimentos e acelera a ondulação.

 

 

 

6- ENTRADA DAS MÃOS

 

Único ponto de divergência entre os tipos de provas.

Provas de velocidade (50m e 100m) é comum voltar as mãos bem próximas da linha dos ombros para que o giro não tenha parada, aumentando assim a FREQUÊNCIA de nado e por consequência a velocidade.

Prova de meio fundo (200m) geralmente as mãos entram na água com um maior afastamento, o que diminui a FREQUÊNCIA de nado mas facilita os movimentos de ondulação, prezando pela economia de energia.

 

 

PARA FACILITAR OS MOVIMENTOS E CONSEGUIR NADAR DURANTE MAIS TEMPO PODEMOS UTILIZAR NADADEIRAS.

Seguem as regras oficiais do NADO DE BORBOLETA:

SW 8.1 – A partir do início da primeira braçada, após a saída e em cada volta, o corpo deve ser mantido sobre o peito. Não é permitido ficar na posição de costas em nenhum momento, exceto quando da volta, após o toque na parede é permitido girar de qualquer maneira, quando deixar a parede o corpo deve estar na posição sobre o peito.
SW 8.2 – Ambos os braços devem ser levados simultaneamente à frente por sobre a água e trazidos para trás simultaneamente por baixo da água durante todo o percurso, conforme SW 8.5.
SW 8.3 – Todos os movimentos para cima e para baixo das pernas devem ser simultâneos. As pernas ou os pés não precisam estar no mesmo nível, mas não podem alternar um em relação ao outro. O movimento de pernada de peito não é permitido.
SW 8.4 – Em cada virada e na chegada, o toque deve ser efetuado com ambas as mãos separadas e simultaneamente, acima, abaixo ou no nível da superfície da água.
SW 8.5 – Após a saída e na volta, ao nadador é permitido uma ou mais pernadas e uma braçada sob a água, que deve trazê-lo à superfície. É permitido ao nadador estar completamente submerso até uma distância não maior do que 15 metros após a partida e após cada virada. Nesse ponto, a cabeça deve quebrar a superfície. O nadador tem que permanecer na superfície até a próxima volta ou final.

REFERÊNCIAS

https://www.cbda.org.br/_uploads/natacao/RegrasOficiaisNatacao2017_2021.pdf

http://www.fina.org/content/fina-rules-regulations

One Comment

  1. José Antonio
    José Antonio abril 3, 2019

    Muito legal as dicas Parabéns.

Deixe uma resposta

Seguir

Acompanhe nossas noticias

%d blogueiros gostam disto: